Tecendo Tapetes

O tear normalmente utilizado na fabricação dos tapetes, é do tipo vertical. Em algumas regiões encontram-se também teares de pedal.
O princípio de funcionamento é idêntico a todos os teares. Um conjunto de fios denominado “urdidura“, e que constituí a base ou “esqueleto” do tapete, é entrelaçado por outro conjunto de fios, denominado de “trama“, e que cobre totalmente a urdidura. Os tapetes assim manufaturados são denominados de “Kilim”.

Outro tipo de tapetes são os “tapetes de nós”. Nestes, a cada linha de trama é acrescida uma linha de nós, que de acordo com suas cores, vão dando origem aos desenhos.

Na seqüência de imagens abaixo, tecedeiras e a produção de tapetes florais e geométricos em teares verticais e de pedal.

OS NÓS

Existem básicamente dois tipos de nós:nó turco ou “ghiordes”, e o nó persa ou “senneh”. As características de cada um são as seguintes:

1 – O nó turco é enlaçado em um movimento contínuo e circular em cada dois fios de urdidura. Uma laçada é solta e a outra apertada. A laçada solta é cortada, dando origem ao pelo aveludado do tapete.

Entre cada carreira de nós, são tecidas duas carreiras de ponto tela ( Kilim ) normal, para dar estrutura ao tapete e segurar os nós.

2 – O nó persa (sennéh) é feito através de um movimento simétrico e alternado, em dois cabos de urdidura. As pontas mais altas são cortadas, dando origem ao pelo do tapete.