O PROCESSO TEAR-PÊUTICO

 
A concentração em si, o desligar-se do externo, a busca incansável de um estado centrado, de harmonia, paz, quietude e luz, podemos alcançar utilizando um instrumento simples, de uso milenar, que vem acompanhando o ser humano desde os primórdios de sua conscientização como ser pensante, autônomo e capaz de adaptar-se ao meio, com o uso de sua mente e também de suas mãos.
O Tear, uma simples máquina que possiblita ao homem o trançar de diferentes materiais, muitos sintéticos, bem como ainda a interação entre os naturais e os sintéticos, harmonizando-se com a expressão individual de cada ser, refletindo seu interior, quer seja um estado de calma, que seja um estado de transformação, quer seja um estado caótico.
As mãos, com o auxílio do tear refletem a mente! Para os estados já tranquilos, reitera a harmonia existente, prolongando-a e embelezando o exterior. Para os processos em transformação, um veículo acelerador dos mesmos, sem perder a harmonia e a calma, quiças já conquistadas. Para os estados caóticos, a possibilidade de uma ordenação, uma ordem, a saída da sombra para a luz, a busca do centrar-se.
A possibilidade de expressão da harmonia e da beleza, existentes em todas as formas da Criaçao, torna-se uma realidade palpável, concreta, visível.
A mente, a antena receptora e emissora; as mãos em comunhão com o tear, a máquina; o trabalho resultante, a expressão real, viva, do abstrato, de nosso interior, característica inquestionável de cada se.
No início, a montagem dos fios no tear: a urdidura, nosso plano de trabalho assumido em outro nível a realizar-se aqui na Terra. O Destino!
A trama, o tecer, a escolha dos fios, pontos, cores e formas, nosso Livre Arbítrio!
Como percorrer o caminho já delineado é opção unicamente nossa. Como integrar destino e livre arbítrio, fatores inseparáveis de nosso processo evolutivo, é também opção unicamente nossa!
Possamos ter sempre em mente a lição simples e profunda que o levantar e abaixar dos fios de um tear manual nos mostram!
Façamos, aqui e agora, fôrça para que cada vez mais estejamos integrados, centrados e no fluxo da espiral evolutiva que nos conduz da Sombra à Luz; da Inconsciência à Consciência, da Criação ao Criador!